Amadora reafirma compromisso no combate ao VIH/SIDA

Depois de em outubro de 2018 ter assinado a Declaração de Paris, associando-se à iniciativa internacional “Fast Track Cities – cidades na via rápida para acabar com a epidemia de VIH”, a Câmara Municipal da Amadora reafirmou hoje o compromisso de atingir estas novas metas, assinando a Declaração Conjunta “Cidades na Via Rápida para Eliminar o VIH” versão 4.0 de 2021.

O Programa Conjunto das Nações Unidas para o VIH/SIDA (ONUSIDA) definiu, no âmbito da sua estratégia até 2025, dez objetivos para a eliminação da infeção pelo VIH/SIDA, para o esbatimento das desigualdades e para o desenvolvimento de respostas centradas nas pessoas. Neste âmbito, também os objetivos das Fast-Track Cities foram atualizados, passando para 95-95-95 (95% das pessoas que vivem com a infeção VIH diagnosticadas, dessas 95% em tratamento e das em tratamento, 95% com carga viral indetetável) até 2025, mantendo a zero tolerância para o estigma e discriminação em respeito às pessoas que vivem com a infeção pelo VIH/SIDA.

Amadora aposta no combate ao VIH e SIDA

A Amadora identifica-se com uma visão holística da saúde.

Desde 2015 que incluímos no plano estratégico de Desenvolvimento Social, uma dimensão relacionada com a saúde. Já nessa data o combate e a prevenção do VIH/SIDA e tuberculose, bem como a redução do estigma e da discriminação, foram estabelecidos como desafios prioritários.

Neste contexto, foi elaborado o Pacto Local para a intervenção na área do VIH e SIDA na Amadora, subscrito formalmente no dia 8 de abril de 2019 por entidades públicas e privadas com atuação e responsabilidade no combate ao VIH e SIDA, com quem partilha uma visão estratégica, princípios de atuação e um compromisso para a ação até 2025.

O Município da Amadora aprovou ainda, em 2020, o Plano Estratégico Local para a Intervenção na área do VIH e SIDA 2019-2025.

Através deste plano, pretende-se acabar com a epidemia de VIH e SIDA e evitar mortes relacionadas com a SIDA, incluindo as causadas por tuberculose. A sua ação pretende acabar com o estigma e a discriminação, possibilitar o acesso à prevenção, aos serviços de apoio, aos cuidados de saúde e aos tratamentos para o VIH e SIDA e a tuberculose.

Com a adesão da cidade da Amadora à Declaração de Paris, a parceria iniciou de imediato um processo de diagnóstico local sobre o VIH e SIDA no Concelho, reconhecendo que este seria fundamental à elaboração de um plano de ação adequado e capaz de responder às necessidades do território e da população. Esta caracterização, coordenada pelo Agrupamento de Centros de Saúde da Amadora, procurou assegurar a recolha dos dados quantitativos disponíveis, recorrendo à parceria local (ACES Amadora, Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca e AJPAS) e a entidades estratégicas com competência na matéria, nomeadamente o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge IP e a Direção Geral de Saúde.

O presente Plano Estratégico Local para a Intervenção na área do VIH e SIDA 2019-2025 espelha um trabalho colaborativo pelas entidades signatárias, mas tendo na sua agenda o envolvimento da rede social local. O seu período de vigência terminará no ano de 2025, para que esteja articulado com o PDSS local.

Veja aqui o artigo original