Engordar, rezar e desamar

Desanuviando neste mundo mal frequentado, entre um trago de rum em substituição de café (este último deixa-me nervosa), de células cinzentas num tom cinquenta vezes mais escuro, deixo um escrito relaxado. É antes a sinopse de prosa poética romanceada de cordel (pulp fiction), desamorosa, desamargosa, como se se tratasse do disparo de um Tomahawk de…

The post Engordar, rezar e desamar appeared first on Notícias Online.