|
Escrito por Câmara Municipal da Amadora
23 janeiro | Conversa sobre O Legado de Piteira
23 janeiro | Conversa sobre O Legado de Piteira

Comemoram-se este mês os 100 anos de Fernando Piteira Santos (1918-1992), personalidade de relevo da vida política e cultural portuguesa do séc. XX e a quem o município da Amadora homenageou dando o seu nome à nova Biblioteca, inaugurada em junho de 2009.

Para o recordarmos, e assinalar essa importante data, a Biblioteca Municipal organiza, no próximo dia 23 de janeiro, pelas 18h30, mais uma conversa com individualidades que o conheceram e que nos trazem a sua memória e as suas possíveis discussões, pensamentos e agitações.

Participarão nesta sessão, o escritor Manuel Alegre, que com Piteira Santos conviveu e partilhou momentos importantes da sua vida, Maria Antónia Fiadeiro, sua enteada, jornalista e investigadora, que trará a perspetiva pessoal desse grande homem, e Susana Martins, que investigou a sua vertente pública de homem político. A moderar este debate estará o professor e investigador, Alcino Pedrosa.

Entrada livre.

 

Biografia (resumida)| Fernando António Piteira Santos

Fernando António Piteira Santos nasceu na Amadora a 23 de janeiro de 1918, e nesta cidade viveu até aos seus 39 anos. Foi professor, historiador, jornalista, escritor e ativista político.

Frequentou o Externato Alexandre Herculano e concluiu o ensino secundário no Liceu Passos Manuel. Matriculou-se na Faculdade de Direito de Lisboa, que viria a abandonar, para ingressar mais tarde na Faculdade de Letras de Lisboa, seduzido que estava pela História.
Paralelamente aos estudos, desenvolveu uma intensa atividade desportiva. Foi sócio do Clube de Futebol Estrela da Amadora, foi atleta da Associação Académica da Amadora, em hóquei em patins, e do Sporting Clube de Portugal.

Desde a sua juventude que se interessou pelas questões da vida política e cultural do país, tendo sido uma personalidade de destaque na sociedade portuguesa.
Foi preso por diversas vezes, integrou diversos movimentos e foi dirigente do PCP nos anos 40. Participou em 1962 no falhado Golpe de Beja contra a ditadura, o que o obrigou ao exílio em Argel. Regressou a Portugal em 1974.

Foi professor no Departamento de História da Faculdade de Letras de Lisboa entre 1974 e 1988 e diretor-adjunto do “Diário de Lisboa” entre 1976 e 1989. Teve colaboração dispersa na generalidade da Imprensa, antes e depois do 25 de Abril.
É autor de “Geografia e Economia da revolução de 1820”; “Raul Proença e a Alma Nacional”; “História das Doutrinas Económicas” com o pseudónimo Arthur Taylor, entre outros ensaios publicados em revistas e publicações coletivas.

Faleceu a 28 de setembro de 1992, no Hospital de Santa Maria. A sua última aparição pública ocorreu quatro dias antes do seu internamento, num almoço de resistentes antifascistas, realizado na sociedade Voz do Operário.

 

Biografia completa aqui.

Consulte o cartaz abaixo:

Comemorações dos 100 anos de Piteira Santos | 11 e 23 janeiro

Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos
Av. Conde Castro Guimarães, Nº 6 – Venteira
Telefone: 214 369 054
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
GPS: 38.752483, -9.2337572

Categoria:

Para podermos satisfazer melhor os nossos ouvintes, este site utiliza cookies. Ao continuar a navegação, o utilizador está a concordar com os mesmos. Ler declaração de privacidade