3 a 6 junho | X Amadora em Cena | Recreios da Amadora

Os Recreios da Amadora recebem, entre os dias 3 e 6 de junho, a décima edição do Festival de Teatro Amadora em Cena, uma iniciativa organizada pelo Teatro Passagem de Nível, com o apoio da Câmara Municipal da Amadora.
 
O X Amadora em Cena começa na noite de dia 3, pelas 21h00, com a peça Turma de 95, de Raquel Castro.
No dia seguinte, 4 de junho, dois espetáculos a não perder. Às 19h00, no Salão Nobre, Esta Noite Grita-se (bilingue), de José Maria Vieira Mendes, Companhia Cepa Torta, e às 21h00, no auditório, As Águas, a partir de textos de Ruy Duarte de Carvalho, Teatro Passagem de Nível.
Dia 5 de junho, às 21h00, no auditório, sobe ao palco a peça Um Pedido de Casamento, de Anton Tcheckov, pela Contacto – Companhia de Teatro Água Corrente de Ovar.
O último dia do festival, dia 6 de junho (domingo), está reservado aos mais novos. Às 10h30 e às 11h30, o Salão Nobre recebe a Hora do Conto para Bebés, PIU, criada pelo Teatro do Biombo e da parte da tarde, às 16h00, no auditório, sobe ao palco A Capuchinho Vermelho na Floresta das Mil Janelas, de Tiago Filipe, pela companhia Sui Generis.
 
Bilheteira:
Recreios da Amadora – Das 14h00 até à hora de início do espetáculo.
 
Clique na imagem abaixo para conhecer o cartaz desta iniciativa
 
cartaz amadora cena 250
 
 
X Amadora em Cena | Recreios da Amadora
Programação
 
3 junho
21h00 | Turma de 95 de Raquel Castro
Auditório
Sinopse |
«A fotografia foi tirada no átrio do Colégio Salesiano de Lisboa em 1995, o ano em que saiu o álbum Mellon Collie and the Infinite Sadness, dos Smashing Pumpkins, aquela que viria a ser a banda preferida do Miguel N.. Estávamos no 9º ano, o João C. e a Filipa N. estavam apaixonados, o Pedro C.C. sonhava em vir a ser jogador de futebol e o Rui A. foi à televisão imitar o Mickael Jackson. Quase todos tinham uma alcunha: a Testa Rossa, a Cavalona, o Splinter, a Beaver, o Chinês, o Dumbo. Eu, a sétima a contar da esquerda, na fila de trás, era a Olívia Palito.
Em 2019 – 24 anos depois – procurei cada um dos meus colegas de turma para conversar sobre aquele tempo e sobre o rumo que a vida levou depois de tirada esta fotografia.
Raquel Castro apropria-se de um espetáculo como quem se apropria de um clássico do repertório e parte de Class of 76 (da companhia inglesa Third Angel) para descobrir a sua Turma de 95.»
M/12 | Duração: 01h10
Preço dos Bilhetes:
Crianças com mais de 12 anos e adultos – 5,00 euros
Sócios do Teatro Passagem de Nível – 2,50 euros
Profissionais de Espetáculo – 2,50 euros
Estudantes de Teatro – 2,50 euros
 
4 junho
19h00 | Esta Noite Grita-se (bilingue), de José Maria Vieira Mendes
Salão Nobre
Sinopse |
«Neste texto de 2015, o autor espelha a angústia que sobra do período pós-dramático: “Afastemos o nevoeiro da ironia com ajuda do real. Onde está ele? O que sobrou depois da destruição?”. É de um texto pós-catástrofe que se trata. Fragmentado, com personagens apenas identificadas por letras, sem género definido, o drama decorre entre cenas onde não existem indicações cénicas, que poderiam passar-se em qualquer lugar e em que a retórica nos lembra constantemente que os significantes não são os significados e que as emoções que sentimos e que tentamos descrever são, na verdade, diferentes para cada um de nós. O brilhantismo na maneira como a forma contamina o conteúdo e o cinismo presente no confronto das personagens, criam as condições para que o texto promova uma profunda reflexão sobre as questões da identidade e do seu reflexo na produção artística dos nossos tempos.»
M/12 | Duração: 1h10
Preço dos bilhetes:
Crianças com mais de 12 anos e adultos – 4,00 euros
Sócios do Teatro Passagem de Nível – 2,00 euros
Profissionais de Espetáculo – 2,00 euros
Estudantes de Teatro – 2,00 euros
 
4 junho
21h00 | As Águas, a partir de textos de Rua Duarte de Carvalho
Auditório
Sinopse |
«O ponto de partida deste trabalho são alguns textos de Ruy Duarte de Carvalho, especialmente “Como se o Mundo não tivesse Leste”, a partir do qual desenvolvemos improvisações e se fixou um guião.
Uma mala perdida numa rua de Alfornelos é encontrada por dois jovens. Dentro da mala estão cadernos de viagem e um gravador de cassetes com o relato de uma expedição ao sudoeste de Angola. Este é o ponto de partida para um mergulho gradual e imersivo nas personagens que habitam esse território, um exercício teatral livre, uma viagem que tem como pano de fundo a vontade de falar sobre a emergência climática, os conflitos decorrentes da escassez de água e os desequilíbrios que a presença dos colonizadores produzem no frágil equilíbrio da cultura pastoril das tribos autóctones.
Falar sobre o outro e a nossa necessidade de o representar, falar sobre o poder, sobre a tirania e as ruturas que provoca; mas também e acima de tudo, falar da liberdade, da liberdade de nos deixarmos encantar pelo desconhecido, de acreditarmos que há magia na ordem cósmica, que podemos cantar, que podemos duvidar e errar.
Os ciclos das transumâncias são vitais para os homens e para o gado, e é a partir deles que as famílias e a economia se organizam, a sua interrupção traz miséria e abandono dos acampamentos e dos locais sagrados.
O arame das fazendas impede o acesso do gado às pastagens.
Os pastores invadem as fazendas.
A água não cai.
Os vivos e os mortos são convocados.
Adivinhos espalham vísceras para captar a graça dos espíritos e produzir chuva. Abate-se uma onça para repor a ordem do cosmos.
A água não cai.
Teria a onça muito a quem matar.» – Paulo Oliveira –
M/12 | Duração: 01h10
Preço dos bilhetes:
Crianças com mais de 12 anos e adultos – 5,00 euros
Sócios do Teatro Passagem de Nível – 2,50 euros
Profissionais de Espetáculo – 2,50 euros
Estudantes de Teatro – 2,50 euros
 
5 junho
21h00 | Um Pedido de Casamento, de Anton Tcheckov
Auditório
Sinopse |
«A peça em um ato escrita por Anton TcheKhov em 1989 é uma divertida comédia que satiriza o casamento das classes privilegiadas da sociedade russa do século XIX. Conta a história de um indivíduo hipocondríaco, de 35 anos, que decide pedir a mão de Senhorita Estrelita, sua vizinha e filha de um Coronel septuagenário. Já em casa do vizinho, acaba por provocar uma série de mal-entendidos relacionados com propriedades, dinheiro, vaidade… desentendimentos que dão o mote a toda a peça. Entre muitas trapalhadas e diversão sem fim, o casamento, a acontecer ou não, torna-se apenas um detalhe…»
M/12 | Duração: 01h05
Preço dos bilhetes:
Crianças com mais de 12 anos e adultos – 5,00 euros
Sócios do Teatro Passagem de Nível – 2,50 euros
Profissionais de Espetáculo – 2,50 euros
Estudantes de Teatro – 2,50 euros
 
6 junho
10h30 e 11h30 | PIU – Hora do Conto para Bebés
Salão Nobre
Sinopse |
«Dentro da casca, Piu sentia-se salvo mas já estava a ficar muito apertado. Quando nasce, longe da mãe, parte para a descoberta do mundo. O Pintainho terá de ser criativo para sobreviver num “mundo novo”, dando novos significados aos obstáculos que vai encontrando; ser comunicativo, socializar e procurar afecto num mundo cheio de obstáculos. Numa viajem que balança entre o entusiasmo da descoberta do desconhecido e a insegurança e procura pela mãe, vamos vivenciar com Piu todas as suas aventuras, sentindo a água da chuva, o cheiro das tangerinas e escutando no barulho dos pássaros.»
M/0 | Duração: 40 minutos
Entrada livre
 
6 junho
16h00 | A Capuchinho Vermelho na Floresta das Mil Janelas, de Tiago Filipe
Auditório
Sinopse |
«Lembram-se da Capuchinho que foi levar os bolinhos a casa da avó? Pois bem, passou-se o tempo, a receita dos bolinhos é a mesma, mas a floresta mudou. As árvores deram lugar a postes de eletricidade, os animais foram substituídos por carros e o rio por uma fonte. Tudo muda! Juntem-se à Capuchinho nesta nova fase de descobertas. Que não vos falte imaginação.»
M/6 | Duração: 50 minutos
Preço dos bilhetes:
Crianças até aos 12 anos – 2,50 euros
Crianças com mais de 12 anos e adultos – 5,00 euros
Sócios do Teatro Passagem de Nível – 2,50 euros
Profissionais de Espetáculo – 2,50 euros
Estudantes de Teatro – 2,50 euros
 

Veja aqui o artigo original